Filosofia

Ao longo de minha vida e estudos encontrei uma orientação filosófica fruto de muita reflexão e ponderação sobre o que vivi e vi acontecer.


   Busco um mundo cada vez melhor onde devo ser o primeiro a dar o exemplo. Acredito em Deus como entidade inefável, impessoal, não revelada, que ninguém viu, mas cuja força e potência criadora se manifesta no ritmo perene da vida e na criação do céu e da terra. Acredito no milagre da sabedoria cuja autoconsciência nos torna, cada vez mais, humanos.
   Busco a perfeição, não aquela que encerra em si um fim, mas a perfeição que é um continuum do aperfeiçoamento, físico, moral e espiritual.

   Acredito nos bons hábitos como doadores de saúde e vida. Saúde que deve ser o completo bem estar físico, mental, social, espiritual e não apenas a ausência de doenças (conforme a OMS).
   Viver bem é “com-viver”, e para isso é preciso tolerância com as dificuldades e deficiências; compreensão das diferenças como algo útil e natural no processo de evolução do ser humano; autocrítica para nos reformularmos sempre; moral para não escandalizarmos, ética para conservar, desenvolver e difundir os melhores valores que norteiam a vida em comunidade.

   Nada do que não conquisto ou me é dado de bom grado me dignifica. Tudo que é usurpado ou subtraído de outro traz consigo uma maldição natural daquele que perde. Por este motivo, provocar uma perda não interessa a ninguém que busque perpetuar relações saudáveis de energia e saúde mental.

   Não vejo o homem como ser competitivo e sim cooperativo. Nos níveis de evolução onde está a humanidade atual, o conceito de competitividade está ultrapassado e causando todos os desajustes sociais iminentes. O homem é complementar do homem. As habilidades de um complementam as do outro e ainda que exerçam uma mesma atividade, só tendem a somar quando a proposição é alcançar o melhor objetivo comum. Numa competição de dez participantes, para cada um vencedor existem nove derrotados (nove danos as estimas de pessoas potencialmente capazes). Num sistema cooperativista de (10) participantes, para cada (1) vencedor somam-se (9) pois todos trabalham para o conjunto e com isso todos são vitoriosos em suas individualidades participativas no grupo.

   Eu poderia falar de muito mais coisas sobre a filosofia que tento trilhar, mas o básico é que busco sempre a adaptação para evoluir, não faço aos outros o que não devem fazer comigo, busco ser reto em pensamentos, palavras e atitudes, ser honesto comigo mesmo acima de tudo.

   Quero fazer atividades com prazer e alegria e por isso ofereço o que julgo promover também minha satisfação em servir. Quero ser remunerado sim, conforme o tratado e como troca pelo que penso oferecer de melhor. O que trato sempre vai além do que se põe em papel. Digo isto porque guardo sempre o combinado e é sobre ele que deito meus esforços. Vejo nas pessoas a hombridade que busco cultivar em mim.
          
   Por fim, sou uma pessoa bem-humorada, gosto de informalidade respeitosa, sou cordial e educado com todos sem distinção, posso penetrar nos, mais variados meios sociais, vestindo a camisa do grupo que mesmo desfavorecido trabalhe com dignidade em busca de crescimento e isso basta para me motivar. Sou leal, desde que mantidas moral, ética e lei. Liberdade, Igualdade, fraternidade e Justiça.
          
   Sou um Cristão que busca acreditar no sonho da liberdade, da igualdade e da fraternidade universal.

                                                           Ricardo Pontes Ramos.